pet sitting

Muitas vezes é difícil conciliar a nossa vida, seja profissional, seja lazer, com a existência de um companheirinho (ou mais) totalmente dependente de nós. Seja uma viagem de trabalho ou de férias, nem sempre é possível levá-lo(s) connosco ou ter alguém a quem deixar a responsabilidade de cuidá-lo(s) na nossa ausência.

 

Tem então duas alternativas: deixá-lo(s) num hotel para animais ou contratar um Pet Sitter.

 

  • O que é um Pet Sitter?

Pet Sitter é um profissional que cuida do seu animal de estimação, na sua ausência e em sua casa.  Faz uma ou mais visitas diárias, conforme necessário e de duração acordada com o dono, com uma média de 15-45 minutos. Os serviços típicos incluem: alimentar, promover o exercício habitual, mantendo a rotina dos animais, administrar medicamentos e vitaminas quando necessário, cuidados de higiene e outros cuidados especiais.

 

  • Vantagens de um Pet Sitter em relação a um Hotel

Por os animais serem tratados nas suas próprias casas:

  • Evita o stress da viagem;
  • Evita o stress de estar em ambientes desconhecidos, por vezes confinados em espaços reduzidos;
  • Evita o stress de partilharem o espaço com muitos animais;
  • Minimiza a exposição a doenças e a parasitas de outros animais;
  • Não há alteração da rotina do animal;
  • Cuidado personalizado, 100% de dedicação;
  • Mais económico;
  • Previne assaltos, pois apesar de ausente, continua a haver movimentação na sua casa.

 

A maioria dos hotéis para animais acolhe apenas cães e gatos. Um Pet Sitter cuida de qualquer tipo de animal, sejam cães, gatos, roedores, peixes, aves, répteis…

 

  • Não posso deixar o meu patudo sozinho em casa!

Com o estilo de vida actual, em que cada vez trabalhamos mais e temos menos tempo para passar com os nossos animais de estimação, estes acabam por ficar sozinhos durante muitas horas.

 

Muitas vezes, os cães ficam tão dependentes dos seus donos que não conseguem ficar sozinhos em casa. Na sua ausência têm comportamentos destrutivos (escavar, arranhar, morder objectos pessoais, móveis, portas e janelas), vocalizam em excesso (uivos, latidos, choros), urinam e defecam em locais inapropriados. Estes cães podem sofrer de ansiedade de separação. Sentem-se sós, aborrecidos e em stress. Ficam de tal forma deprimidos, que não comem nem bebem água enquanto o dono não retornar.

 

Uma forma de minimizar estes comportamentos é contratar um Pet Sitter para fazer companhia e brincar com o seu amiguinho, distraindo-o da sua ausência.

 

No entanto, é importante que o animal seja rigorosamente analisado por um profissional, que fará um levantamento de todo o histórico comportamental, de modo a diagnosticar se de facto se trata de ansiedade de separação, e desenhará um protocolo de modificação comportamental adequado.

 

Para saber mais sobre este tema, consulte o artigo: Ansiedade de Separação.